quarta-feira, 7 de março de 2007

CHEGUEI!!!!




Vá lá miúda escreve-nos sobre culinária!
Bem que podias enviares-me umas receitas!
Quando voltas a dar aulas?
Ainda fazes aqueles pasteis deliciosos?
Faz um blog, que eu linco-o ao meu.

Pronto amigos aqui está o vosso, nosso blog.
Apesar desta minha “nova” fase de escritora” me ter afastado um pouco do estudo da culinária, aqui estou eu de volta.
Da cozinha não me pude afastar, pois com tantos filhotes isso seria, para mim, completamente impossível, mas a distância foi o suficiente para querer voltar a estudar esta arte fundamental mais a fundo e continuar compartilhá-la convosco.

Desilude-se quem imagina que eu vou transformar esta página num blog de receitas de pratos naturais.
Poderei sim eventualmente passar-lhes algumas receitas, mas principalmente de posturas, de dicas, que possam nos ajudar a melhorar as nossas vidas.

Hoje, neste dia inaugural, quero falar-vos da receita mais importante de todas as culinárias, de todas as profissões do mundo:
O SENTIMENTO!
Sim o sentimento é indispensável na cozinha como em todo o lado.
Falando aqui do nosso cantinho, o sentimento com que cozinhamos, será transmitido no alimento e será digerido em nós.
se cozinhamos com mau feitio, amuados, assim ficaremos nós e as pessoas todas que da nossa comida se alimentarem.
Se cozinharmos com alegria e amor, será esse estado de espírito que as pessoas assimilarão.
Não pensem que é fantasia, balela, conversa fiada.
É pura verdade.
Laura Esquivel descreve muito bem esta questão no livro "como água para chocolate confirmem no site www.sensibilidadeesabor.com.br/comoaguaparachocolate.html
Por isso amigos, quando pensarem no cardápio que vão elaborar para a vossa família, para vocês mesmos, amigos e mesmo clientes, prestem bem atenção ao vosso estado de espírito:

Apercebam-se se estão a escolher qualquer coisa para comer;
Se será mais um sacrifício que farão para os outros;
Se lhes apetece fazer aquele prato delicioso que vos faz crescer água na boca, mas que vai doer na barriga ou não;
Ou se vão escolher algo que embora possa ir de acordo com a vossa disponibilidade seja saboroso, colorido….
Mas acima de tudo, que seja feito com muito amor e boa disposição.

Por vezes acordo sem saber direito o que fazer.
Por vezes até, confesso, não me apetece nem por os pés na cozinha, pois que correr por gosto por vezes também cansa….
Mas assim que chego ao meu “atelier” decorado da cor do sol, para me dar energia, coloco uma música bem animadinha, adequada ao meu estado de espírito, abro o frigorífico e elaboro uma refeição bem temperadinha de amor.

Por isso atenção!
Cozinhar com amor, para muitos problemas pode ser uma grande solução!!!

Claro que não posso terminar este post sem um pedacinho do meu sentimento literário, que como podem confirmar, está de acordo com o tema de hoje.

Continuem a deliciar-se

Aquele abraço!!!
Palucha

B.I.

- Como te chamas?
- Palucha Hipólito Perdigão
- Que idade tens?
- Estou à porta dos “entas”!
- Onde moras?
- Torres Vedras
- Nacionalidade?
- “Luso-franco-anglo-brasileira…” de coração
-????????’
- É que apesar de ser portuguesa com muito orgulho, também tenho uma sede louca pelas outras culturas.
- Isso nota-se nos estrangeirismos que saem da tua boca a toda a hora!
- Pois!...
- Alma?
- De fadista! “Desde acordo, até à hora que me levanto”, funciono à base de muito sentimento.
- Mas estás sempre alegre e ou irónica!
- São as tais influências que me completam!...
- Amores?
- Elaborar pratos energéticos e deliciosos para os que me rodeiam; ler todos os livros e artigos que me “chamam”; cavaquiar e rir com “tous les amis” de todas as idades, nacionalidades, crenças e maneiras de pensar; viajar pelo mundo; reescrever os meus pensamentos; dançar, dançar dançar
Enviar um comentário